Pesquisar este blog

sábado, 24 de julho de 2010

Um conselho para Luiz Inácio

Assisti a uma entrevista do presidente Luis Inácio Lula da Silva, onde ele demonstra preocupação com o dia 2 de janeiro de 2011.
O "day after" de um ex-presidente não deve ser fácil de assimilar, principalmente em se tratando de uma pessoa como o presidente Lula, que desde que era um jovem sindicalista não fez outra coisa senão política. Será que ele vai resistir a um palanque? Não acredito. Porque, mesmo como presidente, ele não perdeu o hábito de palanqueiro. Com o carisma que ele tem não há motivo para preocupação, e dona Marisa nem vai precisar perguntar- E agora Lulinha? preocupação que ele demonstrou na entrevista. É claro que se ele tivesse um diploma de nível superior poderia sair pelo mundo dando aulas nas universidades. Mas, mesmo sendo um presidente que só tem a terceira série primária, ele é formado na Sorbonne da vida, com graduação, pós-graduação e doutorado. Quem melhor do que ele poderá ensinar como blindar-se contra as falcatruas dos companheiros de partido? Ou fazer ouvido de mercador ante as leis do Supremo Tribunal Eleitoral? Quem melhor do que ele para convencer os pobres de que, com o Bolsa Família, eles podem comer iogurte e subir para a classe média? Portanto, não vai faltar convites para palestras, que diga-se de passagem, o cache é alto. O Dirceu pode falar melhor deste assunto. Mas, se ele ainda quiser, poderá fazer parte do elenco de artistas da Rede Globo, pois tenho certeza que porá no bolso Tarcísios e Fagundes. Portanto, presidente, não é preciso chorar antecipadamente na televisão. O senhor nasceu com a estrela no peito e tenho certeza que ela continuará brilhando de alguma forma, pois, ainda vemos a luz de muitas estrelas que já se extinguiram no universo.