domingo, 27 de março de 2011

Álcool, a pior das drogas

De acordo com o artigo de David Nutt, professor catedrático de neuropsicofarmacologia do Imperial College, em Londres, em dez anos as mortes por problemas no fígado irão ultrapassar as por doenças cardiovasculares no Reino Unido, onde o álcool ganhou o título de pior droga entre todas as conhecidas (Revista Ciencia Hoje nº 278, de fevereiro de 2011). Segundo ele, o governo finge não perceber o estrago para a saúde pública, e se a bebida tivesse sido inventada hoje não passaria pela aprovação de nenhum órgão fiscalizador- o álcool é convertido em uma substância extremamente tóxica (acetaldeído) para o fígado e outros órgãos.
No Brasil vigora a apologia ao consumo. A população é bombardeada por propagandas das cervejarias mostrando mulheres seminuas, gente alegre e bem sucedidas. Dados publicados em 2004, relativo ao Brasil, no que diz respeito à quantidade mostra: 54 litros per capta/ano de cerveja; cachaça 12 litros; vinho 1,8 litros. É só olhar os boletins de ocorrências nas delegacias.
David Nutt escreveu um artigo para a The Scientist, propondo que a indústria farmaceutica e a academia desenvolvam moléculas artificiais, a "bebida sintética", que tenha a mesma ação no cérebro, sem os efeitos colaterais da bebida.

Museu Náutico da Bahia. Forte Santo Antonio da Barra - Farol da Barra.

Farol da Barra - Salvador -Bahia Este é o Forte de Santo Antônio da Barra, edificado no século XVI, ocupando o Sítio da Ponta do Padrã...