Pesquisar este blog

domingo, 8 de julho de 2012

OS PERIGOSOS COMPOSTOS QUÍMICOS DOS PLÁSTICOS

Artigo  resumido da revista Ciência Hoje de maio de 2012,de Sonia Corina Hess 

texto Darcy Brito

Eles ainda estão sendo investigados, mas, suspeita-se, que seus efeitos no organismo humano seja de importância relevante no que diz respeito aos danos causados à saúde nas últimas décadas.
O componente tóxico bisfenol A (BPA) tem sido a substância química de maior produção no mundo, empregado na fabricação de plásticos, presentes em muitos objetos tipo mamadeiras, garrafas de água mineral, resinas odontológicas, latas de conserva, tubos para água, CDs e DVDs, impermeabilizantes de papéis e tintas. Esses materiais ao sofrer ação de processos físicos ou químicos liberam bisfenol A  em alimentos, bebidas e meio ambiente.
Essas substâncias são suspeitas de atuar como hormônios artificiais ou de interferir no sistema endócrino, levando a doenças e disfunções em adultos e crianças além de malformações embrionárias. Na mulher a exposição a substâncias deste tipo é responsável por endometriose e câncer de útero. No homem pode causar câncer,  levar a impotência, diminuir o desejo sexual, os níveis de hormônio masculino no sangue e do número de espermatozóide e induzir ao aumento das mamas(ginecomastia ).Pesquisas feitas nos Estados Unidos mostrou que as concentrações de BPA, em fluidos corporais humanos, são pelo menos mil vezes maior  que as concentrações necessárias para a ocorrência dos efeitos em células citados nos estudos científicos. Os elevados níveis de BPA nos cordões umbilicais, no soro materno durante a gravidez e no fluido amniótico uterino são bastante preocupantes porque é o período de maior sensibilidade do feto aos efeitos danosos dos interferentes hormonais.
Também os ftalatos, aplicados  no PVC  e materiais de construção, móveis, roupas, adesivos, solventes, inseticidas, repelentes e perfumes etc., tem sido usado em larga escala colocando em risco tanto pessoas como animais domésticos e selvagens, devido à inalação, ingestão, absorção pela pele, ou, ainda, pela administração intravenosa, já que bolsas e mangueiras de PVC contendo ftalatos também são usados em clínicas e hospitais, inclusive na hemodiálise  e fornecimento de oxigênio.
Além dessas substâncias citadas temos ainda os alquifenóis ( octilfenol e nonilfenol), matéria prima  muito perigosas, usadas na fabricação de detergentes, pesticidas, herbicidas, cosméticos, tintas e muitos outros produtos domésticos.
Apesar de todo esse conhecimento, as restrições legais ao uso desses produtos na fabricação de plásticos ainda são pequenas. No Brasil a Anvisa, proibiu em 2011 a fabricação e venda de mamadeiras que contenham bisfenol. A legislação brasileira estabelece limites de uso de algumas substâncias químicas para fabricação de embalagens em contatos com alimentos e limites de migração para alimentos embalados. Mas  no que diz respeito aos ftalatos, apenas  prevê restrição e não proibição.