Pesquisar este blog

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

DE HORÁRIOS E HONORÁRIOS

Foto google
Dizem que as leis brasileiras foram feitas para serem desrespeitadas. É comum ouvirmos nos noticiários reportagens mostrando bêbado dirigindo,apesar da lei seca; filas enormes em bancos, reclamações contra planos de saúde, salas de espera de clínicas médicas com mais clientes que assentos e  marcação de consultas com horas ignoradas. Esta situação última é a que mais irrita. Marca-se uma consulta para 2:30  e o médico só chega a partir das três e meia ou quatro horas. E não é porque o atendimento é por convênio, o que não justificaria a falta de respeito. Também os médicos que cobram exorbitâncias,( R$350,00 400,00) os "Bambambans", também se acham no direito de atrasar. E ai de quem reclama. Os profissionais que atendem por convênio se queixam dos honorários pagos pelas seguradoras de saúde. Os profissionais particulares estão sempre vindo de um outro "procedimento" de última hora que o fez se atrasar. E fica tudo por isso mesmo. Vemos aí que o problema não está só no serviço público.
O vereador Paulo Câmara (PSDB) apresentou projeto de lei na Câmara Municipal de Salvador fixando em 15 minutos o tempo máximo de espera para o paciente ser atendido nos consultórios e clínicas na capital baiana. Em Salvador já existe uma lei semelhante que fixa em 15 minutos o prazo máximo para atendimento de clientes nas agências bancárias, exceto nos dias imediatamente anteriores e posteriores a feriados, cujo prazo é de 20 minutos. Na prática essa lei não é obedecida nem fiscalizada, nem mesmo em bancos oficiais. Portanto, uma coisa é a lei, outra coisa é a realidade. Alguém já disse que fila grande é resultado de incompetência administrativa. Resta saber de quem é a responsabilidade. Se você resolver procurar o PROCON tem que enfrentar fila também.