quarta-feira, 3 de abril de 2013

PEC - "primeiro mundo da noite para o dia".

A partir de hoje está valendo a nova lei que regulamenta o emprego doméstico, o PEC. Sempre sonhei com o momento em que empregada doméstica se tornaria artigo de luxo, como em países de primeiro mundo. Agora elas não vão mais ter  vergonha de ter na carteira assinada  a  Profissão Doméstica. Muitas delas arranjavam mil desculpas para não entregar a carteira profissional, o que era motivo para muitos patrões escaparem das obrigações trabalhistas. Nada mais justo que regulamentar essa profissão que até então não era valorizada. Mas o grande problema são os penduricalhos que poderão  acompanhar a lei do PEC , como salário família, creche, seguro etc. Querer comparar o emprego doméstico com outros de empresas privadas, que visam lucros, é irreal. Outro problema é a qualidade de mão de obra no que diz respeito a capacidade profissional e responsabilidade para com o emprego, que na maioria das vezes deixa a desejar e que de agora em diante vai ser mais exigido. É preciso também esclarecer os deveres das domésticas, muitas não cumprem horário de chegada. Frisar que a relação empregada patroa  tem que ser estritamente profissional também é utópico, porque a proximidade com os problemas pessoais de ambos os lados é mais intensa. Não se pode proibir sentimentos nas relações humanas. Infelizmente no Brasil as leis muitas vezes são feitas e são desobedecidas porque  não há correspondência com a realidade. Mas essa lei deve ser louvada pois haverá mudanças, para melhor, nos lares da família brasileira. As meninas patricinhas, e meninos, não precisarão mais viajar para a Europa a fim de aprender a fazer a sua própria cama e arrumar o seu quarto como fazem os de lá. Terão que aprender aqui mesmo. Os maridos terão que aprender a mudar fraldas de bebês e lavar o seu próprio prato e copo. Nada de ficar sentado dando ordens, têm que dividir as tarefas domésticas. Talvez o ruim de tudo isso seja mesmo o aumento de desemprego na área das domésticas, que deverão mudar de profissão ou optar por serem autônomas tornando-se diaristas, afinal, a maioria dos brasileiros não ganha o suficiente para manter tal luxo.

Falando como platéia.

Tenho muito respeito pelos artistas de um modo geral, pois acho que eles são seres escolhidos para tornar a nossa vida mais alegre e mais l...