domingo, 1 de setembro de 2013

O Desabafo da Barata

Foto google
Estou na dúvida se  fico aqui escondidinha esperando que essa idiota desista de me matar com o chinelo, e aí é bem provável que ela opte por um inseticida, ou se me arrisco, saindo correndo numa velocidade proporcional  a de uma fórmula 1. Então ela sai correndo atrás de mim e se eu tiver sorte ela bate com o chinelo no chão várias vezes, enquanto fujo para uma frecha mais segura da cozinha dela. O pior é ficar ouvindo ela me chamar de nojenta e fazer cara de quem vai vomitar. Nojenta é ela que não limpa direito os cantos da casa. Deixa cair migalhas no chão, esquece o prato sujo de comida em cima da pia de noite; isso sem falar que há anos não limpa a tal caixa de gordura que já deveria ter sido isolada. Eu estou fazendo o que a natureza mandou que eu fizesse. Não mato ninguém para me alimentar, só como restos. Ela sim, é que mata animais e plantas para sobreviver; come cadáver e se dá ao luxo de me chamar de nojenta. Essa coisa de ter medo e nojo de barata é mais cultural que biológico. Deveria ter nojo era dessas comidas de Fast-food que fica sobre os balcões, com todo mundo falando em cima, transmitindo seus vírus e bactérias diretamente nos alimentos, provocando muitas vezes infecções por botulismos etc. Muito mais mal faz é esse inseticida que ela está agora nas mãos, pulverizando por toda parte, porque não sabe onde eu me escondi. É que aproveitei, quando ela saiu para pegá-lo na área de serviço, e me mandei para a casa da vizinha, passando por debaixo da porta. Sei que meus dias estão contados mas, pelo menos, já deu tempo para eu deixar meus ovinhos bem grudadinhos embaixo das gavetas e armários com panelas mal-lavadas. Hihi!

Falando como platéia.

Tenho muito respeito pelos artistas de um modo geral, pois acho que eles são seres escolhidos para tornar a nossa vida mais alegre e mais l...