Pesquisar este blog

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

NÃO ME DESCONGELEM - O Embrião que não queria nascer - Miniconto interativo

Darcy Brito



A inquietação no contêiner de nitrogênio liquido, onde estavam os embriões crio preservados, era grande. Assim que percebiam  alguém prestes a escolher o futuro bebê, ficavam curiosos para saber de quem seriam filhos e em que país iriam parar. Então começavam a discutir uns com os outros, ansiosos para sair daquele lugar frio e desolado, mas não queriam uma mãe ou um lugar qualquer, afinal depois de tanto tempo esperando para serem removidos, daquele laboratório gélido, queriam ao menos um bom destino.
Havia, no meio deles, um líder, como é normal em todo ambiente de insatisfação. E esse líder tentava convencer a todos que era melhor ficar congelado que enfrentar um mundo lá fora tão hostil.

- Vocês não sabem o que lhes espera lá fora!
- E se.....
- E se o quê?
- Se for um lugar legal?

- Muito difícil nos tempos modernos.  Os embriões deveriam poder fazer suas escolhas, mas infelizmente isso é impossível até mesmo pelas vias naturais. Não podemos escolher as coisas mais importantes da nossa vida: os pais que temos, o sexo, o lugar onde nascemos etc. Mas acho que existe alguns que rejeitam a receptora e por isto preferem não nascer.

- Confio na sorte, tenho tudo para ser o escolhido, boa genética na ficha. Se lá fora for bom mando lhe dizer, prometo companheiro.

- Nem quero saber. Seja lá onde for vamos ter que batalhar muito para sobreviver.

- Mas dizem que é uma beleza: tem mar, tem flores, rios, árvores, animais.

- Até aí tudo bem. Mas tem gente de toda a espécie querendo sobreviver e você vai ter que competir, batalhar pelo pão de cada dia. E as doenças? Cada uma pior que a outra. Sem falar que temos que tomar banho todos os dias, fazer xixi, cocô etc...Se dermos sorte poderemos ficar ricos, mas dinheiro sempre vem acompanhado de preocupações com o seu uso. Se você se casar e separar terá que dividir tudo com mulher e filhos, e aí vem uma briga danada pela divisão dos bens. Pior é ser alvo de assaltantes, morrer assassinado, já pensou? Mas ser pobre não é lá coisa muito boa e no final ninguém escapa da morte, tô fora, enquanto estiver aqui não nasço nem morro, porque ainda não tenho vida de gente.

- Bobagem, poder ter a vida compensa tudo. Não quero ser jogado no lixo.

Aí, a força de vontade propulsora falou mais alto, e lá se foi o embrião, que queria ser descongelado, parar no país da fantasia. Sabe qual?

Bem amigos, vamos interagir?
O que vocês acham que aconteceu? O escolhido vai gostar ou se decepcionar com o lugar onde nasceu?
E o que não quis nascer, vai se arrepender?

Também é permitido mudar o final da história: escolher o sexo, o país, os pais e até dá um nome ao personagem.
Se quiser pode desenhar também.












sexta-feira, 18 de outubro de 2013

A vez do Cobre como Vilão do Alzheimer

Tubulação de cobre
Placa de beta-amilóide
Apesar do cobre ser um elemento químico que exerce um papel importante no organismo, como formação de tecidos, condução de sinais nevosos, secreção de hormônios, crescimento de ossos e etc., não se sabe ainda qual  o nível correto para o seu uso. Experimentos feitos em camundongos pela equipe do Centro Médico da Universidade de Rochester (EUA), concluiu que o cobre é um dos principais fatores ambientais responsável não só para iniciar o Alzheimer como, também, para aumentar a sua progressão. Isto porque ao se acumular no cérebro ele danifica o mecanismo cerebral que anula a ação da proteína beta-amilóide, placas encontradas em cérebro de pacientes com Alzheimer que é uma das marcas da doença. A proteína "faxineira"LRPl localizada na parede dos vasos sanguíneos cerebrais,  gruda na beta-amilóide e a expulsa do órgão. E é justamente nesta região que se acumula o cobre, que acaba por danificar (oxidando) as faxineiras LRPl  fazendo com que a beta-amilóide se acumule permitindo que o cobre e outros elementos furem o bloqueio das LRPl e cheguem ao órgão. Aí chegando o cobre aumenta a produção de bete-amilóide e danifica o  processo de limpeza promovendo a aglutinação da beta-amilóide e inflamação do órgão.
Desta forma, se o cobre for realmente um dos fatores ambientais que desencadeiam o mal de Alzheimer e o fazem prosperar, evitá-lo ficará difícil, isto porque este metal está presente em frutas, carnes vermelhas, sementes ( nozes, avelãs, castanhas etc) frutos do mar, vegetais, água e bebidas alcoólicas que  tenham contato com tubulações de cobre. Encontrar o equilíbrio entre o pouco é o muito é o recomendável pelos autores da experiencia. Tem pessoas que gostam de usar os chamados tachos de cobre para confecção de doces, e vale lembrar que o alumínio já foi também o vilão em hipóteses como estas, aos poucos descartadas, e muita gente deixou de cozinhar em panela com este metal.
(Resumo do artigo de Neurociências publicado na Revista Ciência Hoje, outubro 2013)