quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Consumir desnecessariamente é consumir-se.



Foto Google
Não que eu queira dá conselhos tipo “não comprem, não comprem”, como dizia o ex-ministro da fazenda Rubens Ricupero no começo da implantação do plano real  em 1994, mas o consumismo do brasileiro, sem lastro para sustentar as dívidas e sem produção industrial  para repor o que está em falta no mercado, é no mínimo, irresponsabilidade.
Foto Google
É até ridículo ver pessoas madrugando e
se digladiando em filas para aproveitar liquidações de começo de ano, comprando coisas que não precisam e que até nem comprariam em situação normal mesmo que o preço fosse o mesmo ou menor. Mas, é liquidação, vamos comprar.
Os entendidos (?) em economia dizem que a inadimplência não aumentou e que os brasileiros estão conseguindo pagar suas dívidas em cartão de crédito dividido sabe-se lá em quantas vezes, a juros exorbitantes. Em detrimento de quê não se sabe.
Conhecido como turistas que mais compram no exterior, os brasileiros voltam das viagens com as malas cheias de bugigangas e peças de grife que aqui no Brasil, devido a impostos, custam dez vezes mais.  Os bens de consumo  encabeçam a lista de prioridades e os de primeira necessidade ficam para depois. E aí? Bem, vão reclamar da lista de material escolar pedido nas escolas de seu filho, do plano de saúde que deixaram de pagar, (se é que têm) do condomínio que está caro, da mensalidade escolar, do IPVA do carro, que comprou a prestação, etc., etc. e, cedo ou tarde, acabam com o nome sujo no SPC-Serasa.

Nunca se consumiu tanto neste país, consequência de propaganda enganosa de ascensão da classe C. Ascensão de quê, se continuam sem educação e saúde de qualidade? Se lotar as lojas e ruas comerciais é ascensão, com certeza a queda é iminente.
Mas, se conselho serve para alguma coisa, sugiro que não se deixem influenciar pela mídia do modismo, do culto ao corpo, da imitação, do comprar por comprar, porque isto só leva à ansiedade que é um atalho para a frustração e depressão. Vai uma dica: Se você não tem certeza se vai ou não gostar do que está comprando fique com a peça um bom tempo na mão antes de ir para o caixa e quando for pegue a fila maior que tiver.

Falando como platéia.

Tenho muito respeito pelos artistas de um modo geral, pois acho que eles são seres escolhidos para tornar a nossa vida mais alegre e mais l...