Pesquisar este blog

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Carnaval de Salvador – Confinado e Repetitivo


Volto a comentar sobre o  Carnaval de Salvador,  para ratificar o meu pensamento a respeito, que, infelizmente, continua sendo de insatisfação.
Camarotes lotados e só quem está na frente pode apreciar a festa
Quando uma pessoa da minha idade faz esse tipo de observação logo dizem que é saudosismo. Acontece que eu tenho ouvido queixas de pessoas com menos de quarenta anos falando em “antigamente” era melhor. Isto porque além dos Camarotes separatistas, que impedem a circulação das pessoas que não possuem poder aquisitivo para comprar os ingressos e abadás, com preços muitas vezes exorbitantes, e que não são autoridades nem famosos, a festa em si está repetitiva e sem nenhuma criatividade. Se pegar uma tomada de cena do carnaval de rua de 2,3 ou 4 anos atrás, não faremos distinção. A não ser nas roupas das cantoras, estas também são as mesmas cantando as mesmas músicas. Nem vou falar da voz porque elas remexem mais que cantam. Nem mesmo pela televisão o carnaval de Salvador está agradando,  visto que, os cinegrafistas ficam horas e horas  mostrando o mesmo Trio, focando sempre na performance  da cantora, com seu traje idealizado por “estilistas” que deixam seus glúteos mais à mostra. Foi o caso de uma que passou a maior parte do tempo, enquanto tive paciência de assistir,  mostrando seu look transparente e “fio dental” para os Câmeras, fazendo movimentos repetitivos com o seu belo corpo.
A respeito de Camarotes quero dizer que nunca gostei, porque não me interessa ir para o carnaval e ficar confinada num lugar cheio de gente enquanto a festa está acontecendo lá fora. Nada contra quem opta por esse espaço, que além de comidas, bebidas e famosos, alguns tem até Motel improvisado para quem está a fim de curtir mais intimamente a folia. Queria mesmo era andar na avenida  e ver pessoas pulando descontraidamente sem apertuchos e preocupação com assaltos. Não é o que acontece. O que acontece é que a massa se acotovela em ruas estreitas nos circuitos Barra-Ondina- Campo Grande etc. entre trios, blocos e camarotes.

Ora, temos avenidas mais largas, como a Paralela que poderia virar um Triódromo nos dias  Momescos.  Será que a prefeitura não poderia separar um trecho nesse espaço e armar arquibancadas laterais para o povão apreciar confortavelmente o desfile dos Trios  e acabar com esse apartheid exibicionista dos Camarotes, deixando o Centro Histórico mais livre para planejar melhor a festa nesta área? Tenho certeza que a equipe do prefeito ACM Neto tem capacidade para isso.

Hoje em dia o que está salvando o Carnaval no Brasil é o Rio de Janeiro com seus lindos desfiles de Escolas de Samba sempre se superando nas fantasias e enredos, que contam historias interessantes de várias épocas.  Até mesmo São Paulo está melhor que Salvador, com o folião pulando tranqüilo nas avenidas e bairros,  pelo que pude observar nos comentários de televisão.
Apesar de achar que nosso país está passando pela pior crise política de todos os tempos ainda sou a favor dessa festa popular que não tem lógica mas tem alegria.