Pesquisar este blog

sexta-feira, 19 de junho de 2015

LIVROS - A escritora portuguesa Helia Correia, ganhadora do Prêmio Camões 2015




http://m.oglobo.globo.com/

L - Divulgação
RIO — A escritora portuguesa Hélia Correia venceu ontem o Prêmio Camões 2015, a mais importante láurea literária atribuída a autores de língua portuguesa pelo conjunto da obra. É o 11º português a receber o prêmio, instituído pelos governos do Brasil e de Portugal desde 1989. Ela receberá € 100 mil.
— Tenho tenho uma filosofia de vida modesta, distante dos grandes circuitos sociais e literários, então fico muito grata aos membros do júri pelo olhar generoso — diz a autora, em entrevista ao GLOBO. — É realmente uma sensibilidade dos seus membros, já que não tenho uma carreira com aspirações de glória ou de reconhecimento social.
Com o prêmio, Brasil e Portugal estão empatados na lista dos países que mais venceram o Camões, com 11 premiações para cada lado. No ano passado, o vencedor havia sido o historiador e memorialista brasileiro Alberto Costa e Silva. Entre os brasileiros contemplados anteriormente estão João Ubaldo Ribeiro, Lygia Fagundes Telles e Rubem Fonseca, entre outros.
Nascida em Lisboa em 1949, Hélia Correia é autora de romances, novelas e contos. Especialista em teatro clássico, se dedicou à poesia nos anos 80, mas se revelou como um dos principais ficcionistas de seu país. Hélia ainda não tem livros publicados no Brasil, mas já havia recebido prêmios importantes — como o Pen Club — pelo romance histórico “Lillias Fraser”, lançado em Portugal em 2001.
O júri escolheu a autora por unanimidade em uma reunião no consulado português do Rio na tarde de ontem, e que contou com os escritores brasileiros Affonso Romano de Sant'Anna e António Carlos Secchin, o escritor moçambicano Mia Couto, os críticos portugueses Pedro Mexia e Inocência Mata, e a portuguesa Rita Marnoto, Professora da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
— Hélia tem uma obra consistente e densa — avalia Rita, que presidiu o júri. — Sua exploração da natureza humana tem raízes profundas na antiguidade clássica, mas se estende à poética do mundo contemporâneo. É uma escritora com uma prática de construção e experimentação literária.
Veja os vencedores das edições anteriores:
2014: Alberto da Costa e Silva (Brasil)
2013: Mia Couto (Moçambique)
2012: Dalton Trevisan (Brasil)
2011: Manuel António Pina (Portugal)
2010: Ferreira Gullar (Brasil)
2009: Arménio Vieira (Cabo Verde)
2008: João Ubaldo Ribeiro (Brasil)
2007: António Lobo Antunes (Portugal)
2006: José Luandino Vieira (Portugal/Angola), o autor recusou o prêmio
2005: Lygia Fagundes Telles (Brasil)
2004: Agustina Bessa Luís (Portugal)
2003: Rubem Fonseca (Brasil)
2002: Maria Velho da Costa (Portugal)
2001: Eugénio de Andrade (Portugal)
2000: Autran Dourado (Brasil)
1999: Sophia de Mello Breyner Andresen (Portugal)
1998: Antonio Cândido de Melo e Sousa (Brasil)
1997: "Pepetela", Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos (Angola)
1996: Eduardo Lourenço (Portugal)
1995: José Saramago (Portugal)
1994: Jorge Amado (Brasil)
1993: Rachel de Queiroz (Brasil)
1992: Vergílio Ferreira (Portugal)
1991: José João Craveirinha (Moçambique)
1990: João Cabral de Melo Neto (Brasil)
1989: Miguel Torga (Portugal)