Pesquisar este blog

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Kamen Rusev-Lyuben, o meio irmão búlgaro da meio búlgara Dilma Rousseff

Kamen Rusev-Lyuben, 
Ele queria morar no Brasil.
Quem sabe pudesse exercer uma boa influência para sua irmã Dilma?


Rebeldes durante a juventude, cada um à sua maneira, as semelhanças entre Dilma  com seu meio-irmão búlgaro, Lyuben, um engenheiro morto em 2008 e condenado ao isolamento por se opor ao comunismo, são o tema do livro “Rousseff”, dos jornalistas Jamil Chade e Momchil Indjov. 
De acordo com o jornalista, Lyuben  foi prejudicado nos empregos por ser dissidente. “O envolvimento de Lyuben-Kamen com o Partido Social-Democrata marcou sua vida na Bulgária comunista para sempre, debilitando o seu desenvolvimento profissional. Na faculdade ele era um aluno brilhante. Ainda assim, no trabalho sempre foi uma figura menor. E isso porque o enviavam para lugares remotos da Bulgária, onde pouca gente pudesse ver o que ele poderia fazer".
 Lyuben nunca teve autorização para sair da Bulgária – nem sequer para vir ao enterro do pai em 1962. Também por isso, não recebeu nada da herança – vários imóveis e pequenos negócios em Minas Gerais. Ficou com apenas US$ 1,5 mil, oferecidos em troca da recusa de sua parte na herança do pai. “Ele pode ter tido mágoa com isso" diz Chade.
Dilma e Lyuben nunca se viram pessoalmente, a relação entre eles só foi estabelecida quando a petista estava no governo federal, com a ajuda do Itamaraty, diz o livro. A partir de 2005, trocaram cartas e a então ministra enviava recursos para o meio-irmão, com mais de 80 anos de idade e dificuldade para andar. “Eram quantias com pelo menos três zeros”, diz Chade. Ele abria as cartas chamando Dilma de ‘minha querida irmã' . As cartas de Luben eram traduzidas por um ex-diplomata búlgaro no Brasil.

O pai de Dilma, se chamava, em seu país de origem, Pétar Rusév. Lá, foi casado e pai, mas teria abandonado a primeira família ao fugir para a França, em 1929, tendo afrancesado seu sobrenome para Rousseff. Depois emigrou para o Brasil e aportuguesou seu primeiro nome, passando a se chamar Pedro Rousseff. Dilma Vana Rousseff nasceu em 1947, fruto da união de seu pai com a brasileira Dilma Jane Silva,  No casamento com Dilma Jane, Pedro teve mais dois filhos, além da petista: Igor e Zana Lúcia, morta na década de 70 aos 26 anos.
Ao  contrário do que diz a presidente, Pedro não deixou a Bulgária por ter participado de grupos comunistas na década de 30. “Ele saiu do país, deixando a esposa grávida de 7 meses, para se fixar na França. Os comunistas da época quando queriam sair passavam pela União Soviética ”. Seu filho, búlgaro, Lyuben-Kamen Rusev, abandonado pouco antes de nascer, disse que seu pai deixou a Bulgária porque sua empresa faliu. Lyuben nunca conheceu seu pai. 
Petar Rousseff viveu na França por 15 anos, rumou para a Argentina em 1944, e depois para o Brasil, onde casou-se com Dilma Jane Silva, e se estabeleceu em Belorizonte.  Só se sabe dele a partir de 1948, morando no Brasil, com outra família e com a Dilma já nascida. Não é um caminho de um militante político, diz o jornalista Jamil Chade. 
Lyuben enviou cartas para Petar Rousseff  em búlgaro e desejava viajar para o Brasil solicitando a seu pai uma maneira de tirá-lo da Bulgária e vir para o Brasil. 
Seu sonho era visitar o carnaval no Rio de Janeiro.