Pesquisar este blog

quarta-feira, 21 de março de 2012

Filhos sem pai

Biologicamente falando, o interesse primordial da natureza é com a prole, para garantir a perpetuação das espécies. Para a natureza o indivíduo tem importancia reprodutiva. Ou seja, o instinto de proteção da cria deve prevalecer.
Nas leis dos homens qualquer casal pode desfazer os laços matrimoniais sem se importar com os maleficios que podem causar à sua prole. Se observarmos bem, veremos que o número de filhos sem pai é cada vez maior. Digo sem pai porque é o pai que mais abandona os lares. A figura masculina está desaparecendo do ambienete familiar. E o resultdado são adolescentes criados apenas pelas mães ou avós, muitas vezes revoltados, constrangidos, rebeldes e até mesmo violentos ou viciados em drogas. Podemos ver isto a todo momento nos noticiarios de televisão. Há, na maioria das vezes, sempre um pai ausente por trás de um jovem violento, deprimido ou drogado. A figura  do pai é de suma importância no seio de uma familia equilibrada. E a responsabilidade é também da mulher, que gosta de falar em produção independente e orgulhar-se de que pode criar um filho sozinha. Digo isto porque, numa reportagem da revista Veja, pude constatar que a inseminação artificial está crescendo entre as mulheres que optam por adiar a maternidade,  preferindo  engravidar sem a participação natural do pai. Ora, decidir pelo destino de uma criança que não tem poder de decisão é muito sério. Assistimos a toda hora nos meios de comunicação pessoas querendo saber quem são seus pais. Pode parecer moderno, interessante e até mesmo emocionante optar pela proveta. Mas, e depois? Estão as mulheres preparadas para enfrentar os problemas que surgirão no futuro?A criança vai se tornar um adulto um dia. Antes de se fazer um projeto é preciso fazer uma projeção.
Sou totalmente a favor do avanço da ciência no diz respeito a gravidez por inseminação para as pessoas que não podem ter seus próprios  filhos de forma natural. Mas daí a se tornar uma prática normal é preocupante. O mais agravante é a escolha por características físicas que nada tem a ver com a mãe, como é o caso da morena que optou por uma criança branca de olhos claros, as preferidas nos laboratórios de semens congelados. Até um sorriso fascinante, escrito na ficha do doador, motiva a escolha. O nazismo agora está congelado nos tubos de ensaio.Uma pesquisa mostrou que um doador já tem 150 filhos, gerados por doação de espermatozóides, espalhado pelo mundo.