Pesquisar este blog

domingo, 4 de março de 2012

Não coloquem a Filosofia num pedestal

Filosofar ou falar de filosofia não significa apenas citar os grandes filósofos do passado. A filosofia é pensamento, que deu origem às outras ciências. A partir do momento em que o homem se fez a primeira pergunta: quem sou eu, de onde vim, a filosofia nasceu. Vamos tornar o ensino da filosofia mais acessível, conectado com a vida. Aliás, fazer filosofia com bases na natureza biológica, acredito,  seria mais compreensível. A filosofia não pode ser um saber desvinculado da vida. É de suma importância ler e interpretar os grandes filósofos do passado, mas com a visão de hoje. O eruditismo em excesso é muitas vezes petrificante.
De acordo com a tese do filósofo alemão Arthur Schopenhauer (1788-1860), a sabedoria é atemporal e apolítica, ainda que trate de questões políticas e do tempo presente que estão fundamentalmente ligadas ao desenvolvimento humano. Ele propõe um ensino de Filosofia a partir de textos reunidos no qual o próprio estudante deveria se esforçar para compreender o pensamento original do filósofo, seguindo o seu próprio caminho. Ele critica a noção de quanto maior a dificuldade de se interpretar o sentido fundamental de um texto maior seria a "aura" de genialidade de seu autor, levando o leitor a se sentir intelectualmente deficiente. (Resumo e interpretação pessoal da leitura do artigo "O problema do conhecimento (in)útil", da Revista Filosofia de janeiro de 2012).