terça-feira, 17 de maio de 2016

Sobre Cultura e seus Objetivos.

Atual Ministro da Educação e Cultura Mendonça Filho
Acredito  que a extinção do Ministério da Cultura e sua fusão com o Ministério da Educação, protestada por produtores culturais de todo o País, não significa retrocesso, apesar de já ter existido no Brasil antigamente. Hoje em dia isto é praxe em países como Austrália, Espanha e Reino Unido. O importante é que haja uma boa gestão pública, o que tem faltado no Brasil nos últimos anos.

Quando o assunto é Cultura  geralmente as pessoas citam música, artes plásticas, dança, teatro etc. Mas Cultura não é só Arte. 
O conceito de Cultura é bastante amplo, discutível e ainda em desenvolvimento.Desde o século XVIII, quando a Filosofia passou a se dedicar de forma mais profunda ao assunto, e desde o surgimento da Antropologia em finais do século XIX. 
Sendo o homem um ser pensante, diferente dos outros seres da natureza, ele consegue racionalizar de diferentes formas.
Frevo 












Podemos dizer que Cultura é tudo o que é produzido pelo ser humano e que não é próprio da natureza. Todas as práticas relacionadas às artes e às chamadas ciências humanas voltadas à pesquisa de cunho antropológico e social. Também o  comportamento aprendido, independente da biologia genética, aspectos que o ser humano, em contato social, adquire ao longo de sua convivência, e, podemos dizer ainda, que é a partir da cultura que se formam os conceitos religiosos, suas crenças e modo de expressá-la.  Portanto, Cultura é algo muito maior que Arte.

Infelizmente, em se tratando de gestão pública, o setor cultural costuma ser administrado sob o ponto de vista estético e contemplativo, ou promovendo eventos de lazer passageiro. Em vez da formação pedagógica- cultural, como é o caso das culturas material e imaterial. 


Passista de Escola de Samba
Bloco Filhos de Gandhi














Artefato Indígena -Cultura Material

Cerimônias Indígenas- Cultura Imaterial


Com a difusão do capitalismo, a arte passou a ser mercadoria.
Segundo Márcia Tiburi, graduada em filosofia e artes,  mestre e doutora em Filosofia pela Universidade Fedederal do Rio Ggrande do Sul: "Vivemos a experiência de uma sociedade afundada em diversas perspectivas, desejos, posicionamentos e, sobretudo, jogos de força. Raramente se vê nos meios de comunicação a propaganda espontânea de uma exposição de arte, de cinema, de um espetáculo de dança que escape do que pode render lucro. Há, é claro, exceções que confirmam a regra. Mesmo o patrocínio por meio de leis de incentivo é orientado a produtos da indústria da cultura muito mais do que a produtos propriamente artísticos. A cultura está reduzida ao que o mercado determina quando escoa produtos industrializados. Fazer cultura seria, neste caso, resistir diante do mercado, e poder intervir no desejo das massas.                                  


                                                   Mas há desejo fora do mercado nos dias de hoje?" 
Foto Google



Falando como platéia.

Tenho muito respeito pelos artistas de um modo geral, pois acho que eles são seres escolhidos para tornar a nossa vida mais alegre e mais l...