sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Precisamos nos defender das Pragas

foto google



Quando criança, já faz alguns janeiros, ouvia cantar esta música:

"Ou o Brasil acaba com a Saúva ou a Saúva acaba com o Brasil*
Tem Saúva na lavoura, tem Saúva no quintal
Mas onde tem mais Saúva é na Capital Federal'


Esta paráfrase pode ainda ser usada nos tempos de hoje.

Saiba mais sobre as Saúvas: (Texto de José A. Lutzenberger)

As formigas cortadeiras existem há milhões de anos e são raras as espécies vegetais que elas não saibam atacar. A Saúva tanto corta folhas em árvores gigantescas, deixa chover os pedaços, recolhe no chão;  como corta arbustos, ervas e gramas. Já vi Saúva cortando aguapé no banhado. Quando ela ataca, sabe ser tremendamente eficiente, sabe desfolhar um pomar inteiro em uma noite. Ela têm, também, uma fantástica capacidade de reprodução. Em cada revoada nupcial são fecundadas centenas ou milhares de jovens rainhas, cada uma capaz de fundar novo povo. Para simplificar o trabalho, cada uma delas já leva, em sua cavidade bucal, material do bolor específico da espécie, para logo começar com a cultura. Além disso, uma colônia de formigas cortadeiras, uma vez estabelecida, a não ser que seja exterminada pelo Homem, tem longevidade indefinida, pode enfraquecer, mas se recupera, não precisa morrer. Como numa sociedade humana, morrem os indivíduos, mas não morre o povo. O que é mais, em nossas atuais paisagens, especialmente nas paisagens agrícolas e suburbanas, a Saúva já não tem inimigos naturais. O Tamanduá marcha para a extinção e os Tatus não vão muito atrás. 

Bem, como não somos Tamanduás nem Tatus, ainda podemos combatê-las ou desenvolver um método de nos defendermos delas.

O ser humano ainda tem muito chão pela frente e é nos ataques das pragas que ele mais desenvolve a sua criatividade. A exemplo do vírus Ebola que antes, restrito apenas na pobre África, não tinha chamado tanta atenção como agora depois que europeus e americanos foram contaminados e os cientistas já estão desenvolvendo uma vacina para nos defender dos vírus.


* Dizem que esta frase é de autoria de Monteiro Lobato

Falando como platéia.

Tenho muito respeito pelos artistas de um modo geral, pois acho que eles são seres escolhidos para tornar a nossa vida mais alegre e mais l...