Pesquisar este blog

sábado, 30 de junho de 2012

AS EMOÇÕES E O CORPO

Texto de Darcy Brito

É sabido que as emoções exercem poderosas influências sobre todo o organismo humano. Podemos dizer que algumas emoções são positivas, como o amor,  a alegria, a confiança em si mesmo e nos outros,  a paciência, ou esperança que as coisas melhorem. Elas facilitam o funcionamento do nosso organismo evitando que as emoções  negativas como o medo, a raiva a afobação, o desespero, dominem e conduzam nossas ações. Essas emoções negativas, muitas vezes, causam mais mal que os parasitas microbianos, produzindo diversas doenças sem que percebamos, pois elas se instalam sorrateiramente, algumas vezes desde a infância. É claro que algumas emoções como o medo está ligada ao nosso instinto de defesa, nos livrando de situações de perigo, como é o caso de medo da morte. Porém, ligado ao medo muitas vezes acumulamos irritação, precipitação, revolta, levando a um estado de espírito de desespero e raiva. Daí a necessidade de sermos cautelosos, dosar o medo. Já foi demonstrado que os homens e animais, sobre sob a ação das emoções, sofrem profundas alterações nas funções de seus órgãos, como aparelho digestório, respiratórios, circulatório, pele, e, também, alterações químicas no sangue ou no sistema humoral, gerando os mais variados sintomas patológicos, como dor de estômago, azia, náuseas, vômitos, afta, secura na boca, ou fora do aparelho digestório, como dor de cabeça, eczema, etc., que são as manifestações corporais da emoção.  Então a emoção ocorre de forma simultânea, na mente e no corpo. Muitas vezes essas emoções não são exteriorizadas, ficam dentro de nós, na mente, como um conteúdo latente. As que se exteriorizam são as emoções que comumente relatamos para o médico, as manifestas.
A personalidade é que vai determinar o modo de agir e de ser de cada um de nós, ou seja o comportamento. Há pessoas que são inquietas, afobadas, exigentes demais, irritam-se com facilidade, negativistas, desconfiadas, e mesmo sendo inteligentes têm dificuldades de resolver problemas. Outras são medrosas, desanimadas; outras metódicas. Impossível  descrever todas as personalidades, porque cada um tem seu jeito de viver e sentir as coisas. É conhecida a frase  "problemas existem, o que os diferenciam é a forma como se lida com eles". Portanto conservar uma boa saúde ou adoecer vai depender da sua personalidade. De acordo com a medicina psicossomática ou sócio-psicossomática, várias causas estão em jogo na boa ou má saúde. Umas são predisponentes outras desencadeantes.Um indivíduo que tem uma predisposição para desenvolver uma úlcera, poderá desenvolvê-la ou não. Para isso vai depender se o fator desencadeador vai se  juntar ao predisponente. O hábito alimentar inadequado e o temperamento do indivíduo poderá ser esse fator.