Pesquisar este blog

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

As Donas da minha infancia

Poesia 
Darcy Brito



Dona Alzira, Dona Dudu
Dona Maria, Dona Domingas,
Dona Germira, Dona Almerinda,
Dona Antonia, Dona Amália,
Dona Aracy, Dona Luzia,
Dona Dadinha, Dona Vicência,
Dona Duvirgens, Dona Miúda,
Dona Flora, Marieta e
Outras Donas.
Onde quer que estejam
estarão com elas a rua da minha infância e adolescência.

domingo, 28 de novembro de 2010

O Céu é um Inferno

Sempre tive muita curiosidade a respeito de tudo que se relaciona com o universo e sua formação. Suas galáxias e estrelas, seus planetas e as leis físicas que os rege. Por isso não deixo de ler os artigos interessantes que me caem às mãos. Recentemente li um artigo muito divertido, na revista Ciência Hoje, da qual sou assinante, escrito por João Torres de Mello Neto, do Instituto de Física da UFRJ, onde ele diz que "o céu de Galileu com seus fenômenos catastróficos, dificilmente poderia ser sonhado por um poeta". Coincidentemente esta afirmação vem de encontro ao que eu sempre imaginei a respeito do céu. Ou seja, é lindo de longe. A começar pela explosão inicial, o big-bang. Diz o artigo que as estrelas são palco de uma luta intensa entre a força de autogravitação, que tende a comprimi-las, e as reações nucleares em seu interior, que equilibram a gravitação. Quando o combustível nuclear se esgota algumas estrelas explodem em morte violenta e outras lentamente escurecem; as mais massivas terminam em buracos negros. Hoje em dia, segundo os astrônomos, sabemos que no centro da maioria das galáxias habita um buraco negro supermassivo que suga toda a massa e a luz ao seu redor onde o tempo para. Inclusive no centro da nossa galáxia, onde está o planetinha Terra, existe um buraco negro milhões de vezes mais massivo que o nosso Sol. Quanto mais se descobre a respeito da matéria escura mais aumenta nossa ignorância e curiosadade sobre o que constitui grande parte do universo.
Se pensarmos nos milhares de meteoritos, fragmentos de corpos interplanetários ( restos de matéria da época da formação do sistema solar) que bombardeiam a atmosfera terrestre continuamente, numa proporção de 1 mil toneladas por dia de material cósmico, dos mais variados tamanhos, como o que caiu  em Varre-Sai, em Campos (RJ),  com 12 cm de diâmetro e 600 gr (pequeno) podemos afirmar que o céu é um inferno.

sábado, 27 de novembro de 2010

Natal Solitário


Darcy Brito

Conto

Dalva, uma operária de meia idade, morava só, num bairro de periferia na grande cidade de S. Paulo, num apartamento de fundos que visualizava outros iguais ao seu. Trabalhava o dia inteiro numa fábrica de laticínios e ainda faltavam alguns anos para a sua aposentadoria. À noite, de volta para casa, costumava contemplar, pela janela do ônibus, a cidade com seu comércio fervilhante.
Era entre véspera de Natal, as vitrines iluminadas com lâmpadas natalinas a fez refletir, e se deu conta de que não havia armado a sua costumeira árvore de natal..
Ao chegar, cansada e meio ofegante, colocou a bolsa em cima do sofá e foi em busca da sua pequena árvore de natal que ficava guardada no maleiro do seu guardarroupa, ainda com os penduricalhos armados e sem o brilho dos outros Natais. Subiu num banquinho, não sem sacrifício, evidenciando as grossas varizes nas pernas, que as tornavam doloridas, pegou sua velha árvore embalada num saco plástico azul de lixo, e a colocou sobre a mesinha em frente ao sofá, cujo forro de corine marrom já apresentava sinal de desgaste. Era aí que ela assistia aos programas de televisão enquanto tomava seu café com leite e pão com mortadela.
Após ajeitar os enfeites e os galhos retorcidos da árvore, rememorou, como de costume, os Natais antes de enviuvar e os filhos caírem no mundo, como dizia ela: "eram mais alegres, apesar de pobre havia uma pequena ceia e as crianças ganhavam uns presentinhos do Papai Noel da fábrica, nas festas de fim de ano Hoje, só resta esta árvore. Para quem apreciar?- ela se perguntava já com os olhos lacrimejantes. Aí, tomou uma decisão: a partir de hoje não haverá mais árvore de Natal, vou doar para alguém, ou melhor, vou jogá-la no lixo.
Recolocou a arvorezinha no saco, dirigiu-se até a porta do prédio e jogou-a no tonel, junto a um poste em frente. Subiu dois lances de escada e retornou à sua solidão. Passou o café, fez seu sanduíche de mortadela, ligou a televisão e pegou no sono de cansaço.
No dia seguinte, bem cedinho, antes de ir para a fábrica, teve a curiosidade de olhar se a árvore ainda estava lá. Encontrou um garoto, vestido num calção azul desbotado e sem camisa, retirando todo contente a árvore de dentro do saco. “ Vou levar pra casa, a mãe vai adorar” – disse sorridente.
- Que bom, respondeu Dalva, e logo perguntou onde ele morava.
- No viaduto, quer dizer, embaixo. Eu, a mãe e meus dois irmãos menores.
- E o que vai ter no seu Natal – perguntou Dalva curiosa.
- Uma grande festa. Os vizinhos vão colaborar, até peru já tem, só faltava a árvore.
- Que vizinhos?
- Os do viaduto, gente fina.
- Estou com inveja de você, pois eu não tenho com quem passar o Natal.
- Vamos lá pra casa, vai ser animado - disse o garoto.
- Tá combinado. Quando eu saí da fábrica vou direto pra lá. Posso lhe contar um segredo? Hei, garoto! Volte aqui. Esta árvore é minha, era minha, eu... gostaria de passar o Natal.....Onde fica o viaduto?

E Dalva perdeu de vista o garoto que saiu em disparada atravessando a rua entre as buzinas dos carros.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

INFÂNCIA CRESCIDA


Por onde anda aquela imagem de garota
Correndo picula e esconde-esconde
Cabelo assanhado e pés descalços,
Com vestido de fustão azul e branco e bainha despencada?

Em que momento trocou de roupa, calçou sapato alto,
Penteou os cabelos e mudou de brincadeira?
Por onde andam seus companheiros de infância
E que fins levaram suas bonecas de pano?

Quem mudou o sabor dos docinhos de aniversário
E do pãozinho de açúcar da padaria da esquina?
Quem diminuiu o quintal e o muro do antigo sobrado,
Gigantes na visão infantil da menina?
E quem é esta mulher que busca aquela alegria
Que ainda ecoa em seus ouvidos?

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Livro Rainha sem Faixa


Ilustrado por Leonel Mattos este livro recebeu
ótimas criticas.
Conta a história de Beatriz, que após separar-se do marido faz uma reflexão sobre a vida, seus ganhos e perdas e outros problemas existenciais.


Acessar contatos
dnoguei@hotmail.com

Para adquirir através do e-mail dnoguei@hotmail.com
20,00 reais

domingo, 14 de novembro de 2010

O livro infantil que diverte os adultos


Uma história engraçada, emocionante e educativa.
O livro conta a história de uma rebelião comandada pelo Melão para protestar contra os maus tratos e mal uso das verduras, legumes e frutas. Nas falas dos diversos "personagens" cada um faz o seu protesto enaltecendo seus valores nutricionais de uma forma bem divertida. Tudo isso ocorre dentro de um supermercado na calada da noite.
As críticas têm sido ótimas. As Escolas que adquiriram usaram para trabalhos com os alunos. O editor da Usina de Letras, Tomaz Adour, leu e comentou dizendo que foi o livro mais engraçado e bonito que já leu.






Para adquirir diretamente através do e-mail dnoguei@hotmail.com
Preço 15,00 reais
                                                                     


Agora também em e-book    http://amazon.com

Ensino de Filosofia

Pequeno resumo do artigo Ousadia de pensar,na Revista Filosofia n° 52. de Júlio Cabrera, autor do livro Diário de um Filósofo no Brasil.



É possível ensinar Filosofia a jovens? a Filosofia é uma matéria que possa ser ensinada como as outras?
Segundo o grande filósofo alemão Immanuel Kant(1724-1804), o maior problema para o professor de Filosofia é a juventude de seus alunos, a quem ele terá que ensinar muitas coisas que... "segundo a ordem natural, só poderiam ser alcançadas por uma razão mais exercitada e mais experimentada". Este inconveniente deve ser sanado, ainda segundo Kant, tentando formar o aluno, em primeiro lugar, na sensatez, no espírito racional e só depois na erudição.

Caso contrário, se invertermos essa sequência natural, o jovem apenas poderá tagarelar sobre o que não está em condições de entender. O que primeiro deve ser ensinado ao jovem aprendiz é o exercício de seu pensamento e não o aprendizado imposto de conteúdo difíceis de assimilar nessa idade.

Ou seja, ensinar a pensar, e não ensinar pensamentos. A ter discernimento próprio.Ex. em lugar de perguntar "o que você já leu sobre existencialismo?" Perguntar " o que você pensa sobre a existência humana?"

Infelizmente, ensinar Filosofia nos dias atuais ainda é como no século XVIII. Em vez de ensinar a pensar ensina-se a assimilar e repetir a história da Filosofia.




quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Preconceito é atitude abominável

Não sei qual foi a intenção dos que se manifestaram contra os nordestinos que elegeram Dilma. Se foi política ou se foi preconceituosa. A verdade é que, mesmo não gostando do resultado das eleições é preciso haver respeito, não só pela pessoa que foi eleita como também pelos nordestinos. Dizer que o nordestino não é gente, é nazismo. Acredito que quem escreveu isto deve ser uma pessoa preconceituosa e de baixa informação, pois só as pessoas com pouca leitura ainda mantêm algum tipo de preconceito nos dias de hoje. Acho, que mesmo os eleitores de protesto, responsáveis pela vitória do Tiririca, e isso não foi no nordeste, devem ser criticados com respeito. Infelizmente, em campanhas políticas, vence quem consegue enganar melhor, pois não se fala a verdade, é praxe prometer realizações de sonhos. Mesmo votando em Serra temos que reconhecer que estamos numa democracia, e desejar que a candidata vencedora faça um bom governo para todos os brasileiros, seja ele do norte ou do sul.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O Brasil de Sutiã

Dizem que o primeiro sutiã ninguém esquece. Talvez porque ele vai ficando pequeno com o tempo. Mas no caso do Brasil ele já entra pequeno, pois 45% do volume vai ficar de fora. O desconforto será grande e vai ser preciso muitas mãos para ajustá-lo. Faço votos que o modelo não seja o tomara que caia, senão vai ser um vexame. (Eleições presidencial 2010)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Dia 20 de outubro, dia do Poeta

Qualquer acontecimento
pode servir de inspiração
para uma poesia, alegre ou triste,
mas sempre verdadeira.
A poesia não se inventa, sente-se.
Nem sempre vai para o papel,
mas permanece na intenção.
Ela é o estar sempre.

sábado, 16 de outubro de 2010

Memética

É a ciência que estuda os memes. Tudo que uma pessoa pode imitar ou aprender com outra pessoa é um meme. Quando defendemos uma idéia, seja ela religiosa, política, comportamental, estamos tentando passar este meme para outra pessoa. Se o meme encontrar um ambiente mental propício na outra pessoa ele se instala e tentará passar desta pessoa para outra se propagando como uma doença contagiosa. Pessoas "infectam" as outras, e alguns memes são mais contagiosos que outros, assim como algumas pessoas são mais propícias a essa "infecção" que outras. O meio ambiente propício para os memes é a mente humana. Podemos citar como exemplos de memes os slogans, a moda de roupa, a arte e a arquitetura, engenharia e tecnologia, músicas, religião, ou seja, toda a cultura, todos os comportamentos não geneticamente determinado. O que herdamos e transmitimos geneticamente o fazemos através dos gens, mas o que aprendemos ou transmitimos por imitação, para outra pessoa, é através dos memes. Segundo Daniel Dennett", o estoque de mentes é limitado, e cada mente tem uma apacidade limitada de memes, portanto há uma forte competição entre os memes para entrar no maior número de mentes possíveis. Esta competição é a principal força seletiva da memosfera". Mas nossa mente é, ela mesma, um complexo de memes. Muitas críticas se faz à Memética, a crítica mais comum é a que diz respeito à falta de conhecimento do que seria de fato um meme, de que é feito e qual a sua ontologia. Mas a definição de gene também não está tão bem estabelecida como se imagina. Para o biólogo Mark Ridley " o que importa é informação do gene e não sua continuidade física". Porém, sabemos o tipo de substrato que o gen carrega, o que não é verdade para o meme. Mas a Memética vem sendo pesquisada e trabalhada há séculos em várias áreas, como a Antropologia, Linguística,, Sociologia, História, Economia, Marketin, etc., na transmissão da cultura e deve ser respeitada. A Memética une áreas díspares e é essa força que faz com que ela deva ser estudada como ciência.

Resumo de um artigo publicado na Revista Filosofia nº 51

domingo, 10 de outubro de 2010

Democracia no Brasil, vale a pena rever

Democracia quer dizer 'governo do povo".
As primeiras eleições que se tem notícia data do século VI e V a.c. na Grécia Antiga, quando os cidadãos podiam participar diretamente do governo da cidade (a pólis).
As eleições, tais como conhecemos hoje, tiveram origem no século XVIII, com o surgimento de governos representativos na Europa e na América do Norte. O voto era a forma pela qual se expressava a opinião em uma eleição, reunião ou assembléia. No Brasil, com os primeiros núcleos de povoadores em terras brasileiras, logo após a chegada dos colonizadores, surgiu o livre exercício do voto para as eleições das governanças locais que foram realizadas até a Independência. A primeira que se tem notícia aconteceu em 1532 para eleger o Conselho Municipal da Vila de São Vicente ( hoje São Paulo). Em 1821 foram realizadas eleições gerais para eescolher os deputados que representariam o Brasil nas Cortes de Lisboa. Em 19 de junho de 1822 foi publicada a primeira lei eleitoral brasileira, que regulamentava a escolha de uma Assembléia Geral Constituinte e Legislativa, a qual, eleita após a Proclamação da Independência, elaborou a Constituição do Império, outorgada em 1824.
Porém, durante o império, o voto era restrito a cidadãos com certo nível de renda. Para votar, as pessoas tinham que ter pelo menos 100 mil réis, portanto poucas pessoas votavam. Era o chamado voto censitário. Contudo, com a advento da República alguns privilégios eleitorais do Império foram suprimidos, permitindo o direito de voto a todos os brasileiros maiores de 21 anos. Mas, não se permitia o voto às mulheres, aos analfabetos, aos mendigos e aos soldados rasos ( estes chamados de praças de pé). E mesmo assim o voto era em aberto, todos eram obrigados a revelar publicamente o candidato no qual haviam votado, possibilitando a grandes fazendeiros da época a pressionar eleitores. Além disso ainda havia o voto "de cabresto", empregado pelos chamados coronéis, que pedia o voto em troca de favores para eleger seu candidato. O Código Eleitoral de 1932 criou a Justiça Eleitoral, que introduziu o voto secreto, o voto feminino e o sistema de representação proporcional. Ao final do Estado Novo, teve início a abertura democrática, eleições gerais foram efetivadas em todo o Brasil, criando a Constituição de 1946, com a volta de Vargas ao poder, seguido por Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros e João Gulart, que realizou as reformas de base que eram agrária, urbana, educacional, eleitoral e tributária.
Depois o Brasil passou por um período de Ditadura Militar (1964/1985) .Que foi derrubada com a Campanha das Diretas Já, em 1984, mobilizando todo o País. Mas, somente em 1986 o Brasil realizou as primeiras eleições diretas para Senado e Câmara Federal, Executivo Estadual, Assembléias Legislativas, Executivo e Câmara Municipal. A eleição direta para presidente da república, após a ditadura militar, se deu em 1989.

Portanto, são conquistas que devemos valorizar, embora saibamos que no que diz respeito a troca de favores ainda temos muito o que combater.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Hipótese da Avó.

Sob o ponto de vista da evolução biológica, o objetivo primordial da natureza é a reprodução e perpetuação das espécies, ou seja: o que interessa na biologia é a prole. Nesse caso, não faria sentido a fêmea sobreviver depois da idade reprodutiva, já que esta pára de passar seus gens para as novas gerações.
E por que sobrevivem após a menopausa?
De acordo com o artigo da Revista Ciência Hoje, de agosto de 2010, intitulado Menopausa: "Só orcas, baleias-piloto e humanos (e possivelmente alguns primatas), têm fêmeas que vivem depois da idade reprodutiva".
Resumidamente, segundo os autores Rufus Johnstone da Universidade de Cambridge, e Michael Cant da Universidade de Exeter, ambas do Reino Unido, testes genéticos mostram que no tempo em que os humanos eram forrageiros, mulheres costumavam ser transferidas para a família dos maridos, passando a viver entre parentes ajudando a cuidar da prole, netos e bisnetos.
No caso das baleias, as fêmeas que deixam seus grupos para acasalar passam o restante da vida entre um número crescente de parentes. Trabalhos mostram que as fêmeas de baleias mais jovens se benefeciam da ajuda das avós.
E o que isso tem a ver com humanos?
Johnstone e Cant dizem que esse comportamento não deve ser encarado como explicação final para a sobrevivência pós-menopausa, mas apenas uma similaridade entre primatas e baleias cujas estruturas sociais são muito díspares.
Então se as vovós sobrevivem após o período fértil, é para ajudar na criação da prole, sem a preocupação com a disputa sexual com as outras fêmeas mais jovens. Mas nos tempos atuais, com tanta tecnologia voltada para o anti-envelhecimento, não vemos vovós como antigamente. A genética só, não é suficiente; o estilo e modo de vida contam muito. Com o aumento da perspectiva de vida, já que não são baleias, querem mais é curtir a vida sem se preocupar com o futuro. Elas até podem ajudar, ou sustentar financeiramente filhos e netos, mas não querem se ocupar apenas disto. Querem mesmo é aproveitar a liberdade da aposentadoria das fraldas.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Tchaikowsky, o ensimesmado

Resumo de uma pesquisa retirada da Coleção Grandes Compositores da Música Universal - Abril Cultural

Pyotr Ilitch Tchaikowsky, nascido a 07 de maio de 1840 na cidadezinha de Votkinsk, um grande centro industrial na Rússia, filho do engenheiro Ilia Petrovich Tchaikowsky e de Alexandra Andreievna, sonhava ser compositor e conquistar a glória. Tarefa árdua na Rússia daquela época em que a música era um passatempo de salão e ser compositor significava não ter uma profissão definida. Era o segundo dos cinco irmãos e o mais delicado de todos. Apegadísimo à mãe, com quem aprendeu a dedilhar o piano quando tinha apenas cinco anos. Em 1848, os Tchaikowsky mudaram-se para Moscou e dois anos depois para São Petersburgo, que era então a capital da cultura russa. Seus estudos musicais prosseguiram e o seu domínio no piano melhorava extraordinariamente, mas, por volta dessa época, seus pais matricularam-no em curso preparatório para a Faculdade de Direito. Não se sabe quanto tempo duraram esses preparatórios, cujo currículo era bastante variado, inclusive com aulas de canto coral, ministradas pelo maestro Lomakin, um professor de renome. Tchaikowsky, segundo consta, tirou deles muito bom proveito, classificando-se entre os primeiros colocados no vestibular para a Faculdade. Mas, o seu primeiro contato com a música de Mozart o impressionou muito mais que o êxito no vestibular, quando ouviu o "Don Giovani". A empolgação do rapaz fez de Mozart o seu ídolo.
Aos catorze anos de idade deparou-se com a tragédia da morte da mãe que ele amava profundamente, além do normal, uma paixão doentia. Já era introvertido e vivia problemas íntimos e melancolias sem motivo. Entrou em depressão, sentindo um vazio. Na verdade o vazio era a Faculdade de Direito, uma escola rígida e sombria, de regime militar onde os alunos viviam como soldados, sob a constante vigilância de monitores armados de chibatas. Em meio ao curso ficou sabendo que seu pai se arruinara financeiramente por causa de uma amante ambiciosa. Teria que arranjar um emprego. No dia 13 de maio de 1859 formou-se em Direito e no dia seguinte tornou-se funcionário do Ministério da Justiça. Escriturário, com pouco mais de 19 anos, poderia garantir para si um futuro confortável no funcionalismo público. Mas era uma criatura esquisita e não dava o menor valor ao cargo, redigindo sem o menor cuidado os documentos oficiais, atrasava o serviço e, até rasgava e mastigava, distraido, os requerimentos. Era inutilmente repreendido pelos seus superiores.
Como músico alcançou renome, e dispunha de recursos para levar uma existencia confortável mas, sempre ensimesmado e tristonho. Parecia não ter gosto pela vida, sempre insatisfeito. Passava longas horas trabalhando freneticamente, para depois sair e andar sem rumo até o anoitecer. Em 1885 Tchaikowsky comprou uma casa de campo ainda mais isolada na região de Klin.
Todavia, algum tempo depois, o compositor iniciou uma série de viagens pelas províncias da Russia, aplaudido entusiasticamente em cada cidade por onde passava. Mais tarde vieram excursões ao estrangeiro: seus concertos nos países da Europa e na América tiveram êxitos apoteóticos.
Mas o início da sua carreira foi árdua. As criações do jovem estudante, até então , haviam obtido apenas a indiferença do público. São Petersburgo era o núcleo central da cultura russa, porém Pyotr Ilitch Tchaikowsky não lamentou trocar a cidade onde se criara. O recém-fundado Conservatório Musical de Moscou lhe oferecia o cargo de professor de Harmonia e Composição que para ele constituia um estímulo reanimador. Chegou a Moscou em 1866 e ser professor era melhor que ser aluno. Um posto de prestígio que o mantinha em contato com músicos experientes como Kashkin, Albrecht,Klindworth, os quais também lecionavam no conservatório.
Morando em casa de Nicholas Rubinstein, organizador do Conservatório e a quem devia sua nova posição, enfrentava momentos difíceis devido ao temperamento explosivo do organizador quando se irritava com alguma coisa. Mas reconhecia que devia a este a divulgação de suas primeiras composições orquestrais, incluindo-as nos concertos da Sociedade Musical Russa onde o organizador era regente. O trabalho de professor ocupava a maior parte do tempo de Tchaikowsky, mas ele aproveitava todas as horas de folga para criar e compor suas músicas. Ainda em 1866 compôs a Abertura Festiva sobre o Hino Nacional Dinamarquês, para Orquestra, - catalogada depois como Opus 15.
Crítico severo de sua própria obra, ficou desesperadamente revoltado quando soube que a Abertura- Fantasia para a a Orquestra " Romeu e Julieta " havia sido vaiada em Viena e Paris.
Ficava em dúvidas e esquecia todo o reconhecimento que o público havia provado, todos os demais triunfos pareciam-lhe insignificantes. Apesar de abatido não se entregava, continuou compondo e lecionando. Ao receber uma carta, original, de uma viúva de 11 filhos e muito rica, Nadejda von Meck, sua admiradora fervorosa, oferecendo-lhe ajuda para que ele pudesse compor sem preocupação material, ficou incentivado e saiu do estado mórbido em que se encontrava. A relação entre ele e sua benfeitora era peculiar; apesar de morarem em Moscou nunca se encontravam, fazia parte do acordo. Apenas trocavam cartas e ela lhe enviava anualmente 6.000 rublos.
Comentários maledicentes circulavam a seu respeito devido ao seu temparamento misterioso e cheio de conflitos íntimos. Agindo por impulso e para por termo aos comentários, resolveu casar-se com a jovem Antonina Ivanovna Miliukova, que lhe assediava com cartas de admiração ilimitada. O casamento foi um desastre. Em companhia de seu irmão Anatole, refugiou-se nas cercanias dos lagos de Genebra, Suiça, para se recuperar da crise que quase o levou à insanidade.
Paradoxalmente, datam desta fase penosa de sua existência, as mais belas peças que escreveu.
Sempre que estava insatisfeito em algum lugar mudava-se. Relutava voltar à pátria. Mas em 1878 rumou para Kiev, buscando o recolhimento na quietude do campo. Isolado de todos, Tchaikowsky fez do piano seu companheiro constante. Em setembro de 1878 Tchaikowsky sentiu-se com coragem de voltar a Moscou e assumi de novo o seu posto no Conservatório, cujo clima já não era o mesmo (ou ele próprio estraria mudado), pareceu-lhe que a mediocridade e a vulgaridade floresciam na instituição. Depois de lecionar alguns meses, renunciou definitivamente ao cargo.
A morte de Nicholas Rubinstein em 1881 o deixou inconsolável. Para fugir da depressão Tchaikowsky dirigiu-se a Kamenka em busca de apoio de sua irmã, que ele amava muito e que sempre lhe dava apoio. Mas ela já se encontrava doente. Desorientado, viajou para Roma. Aí compôs O Trio em Lá Menor, Para Violino Violão Celo e Piano, Opus 50, que dedicaria a Rubinstein.
Viajou muito e fez grandes excursões internacionais. Em 1888 regeu concertos em Leipzig, Paris, Berlim, Praga, Hamburgo e Londres. Mas a glória não diminuiu o pessimismo nem a suscetibibilidade de Tchaikowsky. Outra decepção o abalou em janeiro de1890, quando o publico reagiu sem entusiasmo à primeira apresentação de " A Bela Adormecida", que ele considerava uma de suas melhores obras. Em outubro de 1890 recebeu uma carta da Sra Von Meck dizendo que encerraria a remessa da pensão. Agora seu protegido seria o jovem francês Claude Debussy que tocava músicas para ela e ensinava piano às suas duas filhas.
Ninguem sabe a reação que essa carta provocou a Tchaikowsky. Em início de 1891 ele rumou para os Estados Unidos, a fim de reger o concerto de inauguração do Carnegie Hall, algo sintomático como sempre acontecia quando ele estava decepcionado. Viajar era uma forma de deixar para trás o sofrimento, e buscar ânimo.
Em junho de 1893, na Inglaterra, a Universidade de Cambrige lhe conferiu o doutorado honorário por seu trabalho como compositor. De vários países faziam-lhe convites.
Tchaikowsky tinha composto uma nova sinfonia, a sexta, que seu irmão Modeste sugeriu o nome de "Patética", e nostalgicamente, o compositor quis apresentá-la em Moscou, estreada em 28 de outubro de 1893. Uma platéia fria ouviu com indiferença seguida pela crítica que não gostou daquela que era considerada por Tchaikowsky sua melhor obra.
Quinze dias depois, na cidade de Klin, Tchaikowsky adoeceu e com o passar dos dias mergulhou em profunda depressão e morreu de cólera, diagnosticada pelo Dr.Bertensan, em 6 de novembro de 1893.

Quem já teve o privilégio de assistir A Bela Adormecida e Lago dos Cisnes, não imagina, por mais absurdo que possa parecer hoje em dia, que suas estréias em 1890 e 1877 respectivamente, provocaram decepção no público da época.





terça-feira, 14 de setembro de 2010

Conhece seu vizinho?

texto de Darcy Brito

Se você respondeu que nem ao menos sabe o nome dele, não se orgulhe disto.
No artigo do professor de Filosofia, Rodrigo dos Santos Manzano, publicado na Revista Filosofia, nº 50 de Agosto de 2010, ele escreve "Reconhecer o próximo é parte essencial da própria percepção de si, já que o 'eu' só existe no contato com o outro, em um processo em que cada um se torna interdependente".
De acordo com o artigo os desejos egoistas, cada vez maiores, são frutos de uma época marcada pelo individualismo. Tais atitudes trazem consequências graves para a sociedade atual, como a violência, desestruturação nas relações familiares e nas relações amorosas. O culto ao "eu"é direito de cada um que busca a felicidade, mas, quando levado às últimas consequências faz com que os seres humanos afundem num individualismo desmedido e desregrado tornando-os cada vez mais embrutecidos diante dos dramas alheios. Diz ele: - para constituir nossa personalidade precisamos de algum contato com os outros. Nosso modo de pensar, de agir e até de sentir, urge de nossas relações sociais.
A dialética Hengeliana defende a idéia de que algo só toma consciência de si no contato com o externo.
O individualismo surge com a Modernidade, que intensificou a questão da posse, da obtenção por meio da compra, através do capitalismo, século XVII, e o industrial, século XVIII. O sociólogo alemão Georg Simmel (1858-1918) em seu texto O indivíduo e a liberdade, distingue o individualismo do século XVIII daquele do século XIX. O primeiro seria o individualismo quantitativo, do homem isolado, mas livre e responsável. Já o segundo, seria o individualismo qualitativo, aquele no qual a liberdade é uma forma de o individuo realizar-se em sua particularidade, ver-se como ser incomparável e singular.
" A solidão é o preço que temos que pagar por termos nascido neste período moderno, tão cheio de liberdade, de independência e do nosso próprio egoísmo", SOSEKI NATSUME.
E o que dizer da frase de Jean Paul Sartre "O Inferno são os Outros"?

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Droga contra a Hepatite C

Esta sigla BMS-790052, é o nome da droga eficaz que está sendo desenvolvida para o tratamento da hepatite C (HCV) , dminuindo o número de virus circulantes no sangue. Ela age inibindo a proteina NS5A do HCV como modo de estancar a replicação dos virus.
Não há vacina para a hepetite C, doença descoberta apenas em 1989.
O tratamento utilizado, hoje, apresenta efeitos colaterais significativos e apenas 50% de eficácia.
A hepatite é uma inflamação do fígado e há vários tipos dessa doença de A a G. A transmissão se dá por meio de contato com o sangue e secreções contaminados pelo virus.
(Resumo do artigo Medicina, da revista Ciencia Hoje, junho 2010)

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Batalha Verbal

Estamos em fase de debates políticos e, como consequencia, o uso da arte retórica. Os sofistas da época de Platão reencarnam e aparecem na televisão em corpo e alma de candidatos, prometendo soluções fáceis ou mágicas para resolver os problemas dos cidadãos, criando expectativas falsas por meio dos discursos convincentes, levando o eleitor menos informado a acreditar que é possível. As campanhas políticas são como campanhas publicitárias, que fazem uso persuasivo das palavras para convencer o público a comprar os mais variados produtos através da batalha verbal, fazendo uso dos sentimentos e paixões das pessoas. Nessas campanhas vence quem melhor convence, com seu apelo ou carisma. Os que não têm carisma pessoal, toma emprestado, seja de um companheiro de partido, de um artista ou até mesmo usando criancinhas, que nessas campanhas são carregados no colo e beijados. A promessa de felicidade, sem nenhum compromisso com a realidade das pessoas e sim com os votos, é apenas aparencia. E a verdadeira face dos eleitos aparece depois, no decorrer do mandato.
É claro que no meio dessa batalha existe os bem intencionados, por isto precisamos saber diferenciar e escolher o melhor em meio a tanto simulacro.

sábado, 24 de julho de 2010

Um conselho para Luiz Inácio

Assisti a uma entrevista do presidente Luis Inácio Lula da Silva, onde ele demonstra preocupação com o dia 2 de janeiro de 2011.
O "day after" de um ex-presidente não deve ser fácil de assimilar, principalmente em se tratando de uma pessoa como o presidente Lula, que desde que era um jovem sindicalista não fez outra coisa senão política. Será que ele vai resistir a um palanque? Não acredito. Porque, mesmo como presidente, ele não perdeu o hábito de palanqueiro. Com o carisma que ele tem não há motivo para preocupação, e dona Marisa nem vai precisar perguntar- E agora Lulinha? preocupação que ele demonstrou na entrevista. É claro que se ele tivesse um diploma de nível superior poderia sair pelo mundo dando aulas nas universidades. Mas, mesmo sendo um presidente que só tem a terceira série primária, ele é formado na Sorbonne da vida, com graduação, pós-graduação e doutorado. Quem melhor do que ele poderá ensinar como blindar-se contra as falcatruas dos companheiros de partido? Ou fazer ouvido de mercador ante as leis do Supremo Tribunal Eleitoral? Quem melhor do que ele para convencer os pobres de que, com o Bolsa Família, eles podem comer iogurte e subir para a classe média? Portanto, não vai faltar convites para palestras, que diga-se de passagem, o cache é alto. O Dirceu pode falar melhor deste assunto. Mas, se ele ainda quiser, poderá fazer parte do elenco de artistas da Rede Globo, pois tenho certeza que porá no bolso Tarcísios e Fagundes. Portanto, presidente, não é preciso chorar antecipadamente na televisão. O senhor nasceu com a estrela no peito e tenho certeza que ela continuará brilhando de alguma forma, pois, ainda vemos a luz de muitas estrelas que já se extinguiram no universo.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Consumo X Incompletude

É muito comum ouvir alguém dizer: "Vou ao shopping espairecer". Geralmente são as mulheres que mais lotam os corredores dos Shopings Centers, e há quem diga que elas são as que mais movimentam o comércio no mundo todo. Mas, a verdade é que, tanto as mulheres quanto os homens estão consumindo cada vez mais. As mulheres costumam comprar mais que os homens, talvez, porque suas necessidades também sejam maiores. Sustentar a vaidade feminina custa caro, e saciar os seus desejos é quase impossível. A moda e as tendencias mudam constantemente. Tudo, hoje em dia, é enfêmero. O que vemos, hoje, é a cultura do excesso. Compra-se por comprar, para sentir-se aliviado ou inserido na efervescencia constante do rítimo da vida. Parece ser impossível ser sem ter. Nunca se produziu tantos bens materiais. A tecnologia não para de aperfeiçoar e tudo fica obsoleto a cada instante. Mas, apesar disso, ou por causa disso, paradoxalmente, o individuo se ver entediado ou insatisfeito e a febre consumista aflora para preencher o vazio. É preciso ser feliz nessa sociedade hipermoderna, mas, na prática, este indice de satisfação não é alcançado. O mercado passou a ser uma divindade que rege o mundo, e o individuo um consumista submisso, dependente, em busca de um prazer momentâneo, para escapar das insastifações do cotidiano.

terça-feira, 20 de julho de 2010

DIA DO AMIGO

Será que no mundo hipermoderno de hoje, cheio de pressa e competições, existe lugar para se cultivar uma boa amizade? Será que seu amigo ou amiga, que no passado você ia correndo ao encontro, para desabafar de probleminhas corriqueiros, ainda está lá disposto a lhe ouvir? Ou será que, assim como todos nós, ele está super atarefado de compromissos e nem ao menos perceberá a sua presença ou atenderá seu telefonema?
Se sua sala de estar ou seu jardim andam vazios de amigos, talvez esteja na hora de você parar para refletir.
Vou transpor aqui, nesta postagem, a frase " A quem confiar minha tristeza" do artigo O Jardim e os Amigos, subtítulo de uma matéria que fala do pensamento de Epicuro, filósofo grego que viveu na Antiguidade (341-221 a.C ) publicado na Revista Filosofia, da qual sou assinante. A frase é epigrafe do conto Angústia, escrita em 1886 pelo russo Anton Tchekhov. A angústia se deve ao fato do personagem, o cocheiro Iona Potapov, que na dor de ter perdido recentemente um filho, ele, exasperado num típico dia de trabalho, tenta desabafar mas ninguém se dispõe a escutá-lo. No limite do desespero ele inicia um diálogo com seu cavalo, confiando ao animal os seus sentimentos. A Filosofia Epicurista ensina que a relação amistosa é necessária à manutenção da lucidez, e que para enfrentar as adversidades e ainda se manter feliz é preciso resguardar o prazer de uma vida simples entre amigos. Situação que no mundo contemporaneo as identidades estáveis começam a se dissolver. O autor, em certo sentido, associa o sofrimento de Potapov à ausência de relação amistosa.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Cientistas descobrem uma droga que faz crescer células cerebrais


Ciência
Artigo enviado por e-mail de http://hypescience.com

O estudo, realizado em roedores, baseia-se na constatação de que todos os mamíferos, incluindo humanos, fabricam células do cérebro ao longo da vida.
Segundo os cientistas, nós produzimos novos neurônios todos os dias, o problema é que a maioria morre. A nova droga, então, poderia ajudar as células mais novas a sobreviverem e crescerem para funcionarem como células cerebrais.
O composto que permitiria uma maior sobrevivência destas células é chamado P7C3. Os pesquisadores já começaram a fazer ajustes para torná-lo mais eficaz, e disseram que ele parece seguro e funcionaria até mesmo na forma de pílula.
O composto é similar às drogas contra o Alzheimer experimentais, e inclusive pode proporcionar meios para melhorar os seus efeitos.
A pílula está sendo testada e os cientistas esperam reforçá-la para torná-la bastante útil. Se assim for, esse trabalho ofereceria testes concretos para o desenvolvimento de versões melhoradas destes fármacos neuroprotetores.
A doença de Alzheimer destrói gradualmente o cérebro e afeta 26 milhões de pessoas no mundo. Drogas tais como Aricept, da Pfizer Inc, melhoram os sintomas minimamente.
As pesquisas realizadas com os ratos provaram que os que ingeriram o composto tinham três vezes mais que o número normal de neurônios em uma região do cérebro chamada giro dentado.
Quando os pesquisadores testaram os compostos Dimebon e Serono, eles descobriram que essas drogas também estimularam o crescimento de novas células cerebrais. Ser capaz de segmentar os seus efeitos pode levar a melhorias nos medicamentos para tratar não só a doença de Alzheimer, mas também outras doenças que destroem as células do cérebro, como AVC e esclerose lateral amiotrófica, também conhecida como doença de Lou Gehrig. [Reuters]


sexta-feira, 9 de julho de 2010

Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM)

A população brasileira está envelhecendo rapidamente e, as estatísticas mostram que em 10 anos teremos mais de 30 milhões de pessoas acima de 60 anos. Este assunto é de suma importancia quando se fala em previdencia social de um país, pois doenças vinculadas ao envelhecimento terão maior incidência.
No que diz respeito ao DAEM, as doenças que mais acometem os homens têm relação com a próstata, sendo a saude sexual uma preocupação para 96% deles, segundo relata o urologista Dr. Archimedes Nardozza Junior.
"Diante disto é preciso estar sempre atento a sintomas, como fadiga crônica, diminuição do interesse sexual e disfunção erétil, checando seus níveis de testosterona por volta dos 50 anos de idade, ou antes, se perceberem sinais desses sintomas" diz o urologista Abraham Morgentaler, da Harvard Medical School. As doenças relacionadas com a próstata são: hiperplasia benigna, câncer e prostatite.
Mas o envelhecimento traz também consigo a queda das taxas de testosterona, hormônio relacionado às doenças metabólicas e cardiovasculares ( diabetes tipo 2, obesidade, hiprtenção, colesterol alto) que acomete 20% a 35% da população masculina após os 40 anos. Este diagnóstico poderá ser feito através de exames de sangue que mede a a taxa de Testosterona Total e Testosterona Livre.

Os homens, infelizmente, têm pouco controle sobre o problema, porque não costumam ir a médico com frequencia, ao contrário das mulheres.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

O Futebol e suas Emoções

Não sei falar de futebol tecnicamente, apesar de apreciá-lo e não perder um jogo da copa, mesmo após a eliminação da seleção brasileira. Mas, de uma coisa eu tenho certeza: é o esporte que mais mexe com as emoções das pessoas, são sentimentos que oscilam entre a alegria e a tristeza em questão de segundos. Da comemoração exagerada do gol a favor, à raiva do contra. Porém, toda essa emoção tem um preço a pagar, a começar pela sequência cardíaca.
Segundo o Dr.Claudio Gil S. Araújo, do Programa de Pós-graduação em Educação Física, da Universidade de Gama Filho, e Clinica de Medicina do Exercicio(Clinimex), no seu artigo publicado na Revista Ciência Hoje, durante um jogo de futebol, tanto os atletas quanto os amigos que se reunem em um fim de semana, assim como os jogadores da seleção que disputam a Copa do Mundo, apresentam grandes variações nos ritimos dos batimentos do coração. Estudos sobre esse rítimo fornecem informações relevantes sobre o funcionamento do coração, que podem ser úteis no treinamento de atletas de diferentes esportes. Não vou descrever aqui o conteudo do artigo, que pode ser lido no exemplar da Revista de Junho de 2010, acima citada.Quero apenas opinar a respeito do contagiante clima que se forma em todo planeta. Há quem diga que gostar de futebol é coisa de latino, ou só de brasileiro, mas basta olharmos as imagens que aparecem na televisão do mundo todo, em época de Copa do Mundo, para constatarmos que este esporte contagia povos de toda nacionalidade e de todos os níveis. Que outro esporte levaria ao povo sofrido da África tanta alegria? Mas, por que o futebol é o esporte que mais emociona? Talvez por ele representar melhor a vida, no seu sentido metafórico. A imprevisibilidade, a luta de cada um para alcançar seu objetivo, a pisada na bola ou a pisada no pé do outro, os impedimentos em meio a luta, a vaidade dos que ganham e a inconformação dos que perdem e o desabafo no grito do gol. As seleções que representam seus países são confundidas com nações disputando entre si. Defender a seleção é defender a pátria? Difícil de responder. Após ouvir o hino de cada país todos viram patriotas. Emoção é mercadoria que mais vende, talvez esteja aí a explicação para tanto sucesso deste esporte.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Nutrigenômica. Uma dieta só para você.

Esta ciência sugere que o caminho para se viver mais e melhor está em um cardápio personalizado capaz de interferir diretamente nos genes. A Nutrigenômica vai colaborar para que obesos consigam lutar contra a balança, sem precisar recorrer à cirurgia bariátrica.
Nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, na Austrália e no Canadá, as pesquisas em Nutrigenômica estão avançadas. Nessas nações, alguns pacientes com predisposição genética já seguem dietas específicas para agirem sobre os genes que predispõem ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes do tipo 2 e alguns tipos de câncer. No Brasil, a comunidade científica ainda não recebe verbas suficientes para patrocinar as pesquisas, a não ser pequenos projetos, revela Lúcia Regina Ribeiro, coordenadora da Rede Brasileira de Nutrigenômica e professora do Progrma de Pós-Graduação em Patologia da Faculdade de Medicina da Unesp, em Botucatu, São Paulo.

Resumo do artigo da revista Viva Saude www.revistavivasaude.com.br

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Poesia

O RETORNO DO PÀSSARO
Darcy Brito

Com seu vôo cansado, retorna o pássaro
Sua antiga morada o espera
Descansa as asas, canta tristonho
Silencia e adormece sem sonho

O dia amanhece e com ele
O seu sonho de esperança
Outra vez voa, de galho em galho
Em busca do néctar, enquanto o alcança

Rasante está o seu voo
Em bando já não anda, nem contempla o céu
Seus filhotes se foram e não há mais ninho
Suas penas escassas não aquecem o frio

sábado, 3 de julho de 2010

Site de relacionamentos para beldades vende óvulos e espermatozóides

O site de relacionamentos “Beautiful People” (traduzido como “pessoas bonitas) é conhecido por aceitar apenas membros que passem por um rigoroso teste de beleza – apenas uma em cada cinco pessoas que tentam entrar para o “clube” consegue sua carteirinha de membro. Para você ter uma idéia, depois das festas de fim de ano, eles expulsaram 5 mil membros, que haviam ganho alguns quilinhos durante o feriado de Natal.
Agora o Beautiful People está oferecendo um novo serviço: seus usuários podem vender seu esperma ou seus óvulos para qualquer “mortal” que queira comprá-los, garantindo, assim, a vinda de um “Beautiful Baby”, um bebê bonito.
Apesar da venda de esperma e óvulos online não ser novidade, a venda de material com “boa procedência genética” é nova.
O Beautiful People, atualmente, tem membros de 190 países e mais de 600 mil solteiros bonitos procurando por um relacionamento – o serviço de “namoro” continua sendo o mais usado do site. [Gizmodo] Artigo do site http://hypescience.com/


Comentario : Incrível Tempos Modernos? Ou Nazismo?

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Saude é condição sine qua non

Estou falando de saude de um presidente da república ou de alguém que aspire a este cargo. É uma questão de segurança nacional.
Na minha opinião, um dirigente de um país tem que zelar pela sua saúde, a fim de evitar transtornos. Não devemos nos esquecer no que resultou a efermidade e, consequentemente, a morte do presidente Tancredo Neves.
Aqui, no Brasil, parece que este quesito é irrelevante. Talvez pelo fato de seus dirigentes darem pouca importancia ao assunto. Aliás,nem sei o que é condição sine qua non, para ocupar este cargo maior neste país. Só sei que um cidadão comum, que tenha mais que 35 anos, tem dificuldades para arranjar um emprego e é considerado velho. Se não tem diploma superior ou alguma especialização, é excluido nos exames de seleção, currículos ou entrevistas. Resta a ele, "apenas", se tiver carisma, candidatar-se a um cargo político.
Está na hora do eleitor valorizar seu voto, começando por uma melhor acuidade, não só visual, mas de um modo generalizado. Sugiro que pesquisem a fundo, principalmente o significado da palavra SINE QUA NON.

Achadas causas genéticas do Alzheimer precoce

O mal de Alzheimer, problema mental de degeneração, caracterizado por perda de memória e outras habilidades mentais, começou a ser tratado com mais cuidado há quinze anos. É quando foi descoberto o gene cuja mutação pode levar à doença. Embora o Alzheimer seja em geral associado a idosos, pessoas jovens, na faixa dos 30 anos, também podem padecer desse mal.

A responsável por Alzheimer precoce é uma certa proteína, que se acumula de maneira indesejável no cérebro. O citado gene, chamado de presenilin-1, tem a função de fazer a “limpeza” dessa proteína no cérebro, e a mutação que sofre o impede de fazê-lo. Quando essa “proteína lixo” se acumula no Sistema Nervoso Central, aumentam as chances de haver Alzheimer.

O desafio agora é achar meios alternativos para “limpar o cérebro”, já que, pelo menos por enquanto, somos obrigados a agüentar os genes com os quais nascemos, mesmo que esses tenham sofrido mutação. Seria o caminho para a medicina tratar ou prevenir o Alzheimer de maneira mais eficaz. [Web MD]

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Memórias Juninas

O mês de Junho é para mim um mês mágico. Quando criança eu me alegrava quando virava a folhinha de 31 de maio para 1º de Junho. Sabia que estava chegando as festas juninas, começando com as rezas de Santo Antonio e terminando com as alegres folias de São João.
No meu bairro, quase todas as casas tinham altares armados com papéis crepons coloridos com o seu Santo Antonio no alto. Rezava-se a trezena de Santo Antonio, ou seja, 13 dias. Que poderia começar no dia 1º e terminar dia 13, ou começar dia 13 e terminar dia 26 de Junho. Dependendo da devoção da cada um. Às vezes, as vizinhas combinavam para não coincidir o término das rezas, que sempre eram acompanhados de festas, regadas a licor de genipapo, amendoim cozido e outras guloseimas.
Na minha casa festejava-se mais o São João. Era um sobrado de três andares, com doze irmãos. Vejo minha avó, com suas bochechas coradas na beira do fogão mexendo a canjica de milho, ou ralando o aipim para fazer o bolo, assado na brasa de carvão. No amplo quintal, uma grande fogueira armada por meu pai e os irmãos maiores, completava o cenário fantástico na minha imaginação. Nela acendíamos fogos, assávamos milho, pulávamos e fazíamos pedidos a São João. Os balões, muitas vezes confeccionados em casa, com sua bucha de querosene e algodão, davam o colorido no céu em meio às estrelas. Num tempo em que não havia proibições nem fábricas para impedi-los. Tudo isso ao som das músicas animadas, cantadas em ritimo de baião. E as quadrilhas e roupas caipiras? Havia disputa da mais bonita.
Hoje, ainda sinto essa alegria quando São João está chegando, mesmo com um cenário diferente e desfalcado. Só que prefiro olhar pelo meu espelho retrovisor.

Livro "Rainha sem Faixa" romance

Este livro, de autoria de Darcy Brito,foi publicado em 2003. Trata-se de uma história de separação onde a personagem central, Beatriz, faz uma reflexão a respeito dos dramas existenciais humanos. Ganhos e perdas, passado, futuro e suas ilusões. Escrito de uma maneira romântica e realista ao mesmo tempo, o livro aborda os problemas das relações humanas de um modo geral, homem X mulher, pais e filhos, amigos, e seus preconceitos.
A história é envolvente e cheia de surpresas, cujo final convida a uma reflexão.

Para adquirir o livro contatar dnoguei@hotmail.com
 ou tel (71) 999355954
Preço R$ 15,00.

Outros livros da autora "Os que desaparecem Nunca Morrem"
" A Rebelião do Melão Amarelão e seus amigos" (este, infantil)

sábado, 12 de junho de 2010

Vacina contra o câncer de mama

Ciência

Uma proteina chamada alfalactalbumina, que age em alguns casos de tumores malígnos de mama, está servindo de base para o estudo e desenvolvimento da vacina contra o câncer de mama. A vacina, que já foi testada em ratos, estimula o sistema imunológico a combater e eliminar a proteina alfalactalbumina, quando ela aparece, evitando que o tumor se forme. Esta droga também aumentou a capacidade do sistema imunológico para tratar tumores pre-existentes, reduzindo seu tamanho.
Segundo a reportagem do "Daily Telegraph", o criador da vacina Vincent Tuohy, da Clínica Cleveland, de Ohio, nos Estados Unidos, fez o prognóstico de que a vacina pode erradicar a doença por completo.

Os Cromossomas e o Câncer

Por muito tempo acreditou-se que os tumores malignos eram causados por virus,cujo material genético era introduzido no genoma da célula hospedeira causando a transformação e proliferação desta. Era década de 60, e os cientistas achavam que sendo os vírus os causadores da malignidade poderiam criar vacinas para eliminá-los.
Em 1970 os cientistas Peter Duesberg, Michael Lai e Peter Vogt isolaram um gene específico, o src, no virus do sarcoma aviário de Rous, suspeito de ser o causador do tumor. Anos depois outros cientistas descobriram que um gene relacionado ao src já estava presente no DNA normal nos animais, inclusive nos seres humanos. Sugeriram, então, que algum agente desencadeador, como uma mutação na própria versão do src da célula humana, poderia torná-lo tão maligno quanto o seu correspondente viral, recebendo o título de "proto-oncogene".que ficaria ativo, "oncogene", após uma mutação, desencadeando a doença. Essa teoria, de que as mutações em determinados genes humanos cruciais seriam a causa do câncer, dominou as pesquisas nos últimos 30 anos.
Resultados recentes apontam para a conclusão de que alterações no número e estrutura de cromossomas inteiros, e não em genes isolados, podem desencadear e manter a malignidade. Acredita-se que esse caos em nível cromossômico não é um mero efeito colateral da malignidade, mas causa direta do câncer. Isto é muito importante para o tratamento e prevenção do câncer, bem como para diagnóstico de lesões pré-cancerosas ainda em tempo de intervir. ( Revista Scientific American, ano 6, nº 61, junho de 2007) resumo do Artigo "Caos Cromossômico e Câncer").

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Dia dos namorados

Segundo psicólogos, este é um dia em que muitas mulheres entram em depressão. Umas porque não têm namorado, outras porque estão brigadas com eles, algumas porque desconfiam que são traídas, enfim, há sempre um motivo para se deprimirem quando a relação amorosa não vai bem.
A insegura espera ganhar primeiro o presente para depois dá o que comprou. As esposas, se eles não se lembram de presenteá-las, ficam frustradas. Mas, se eles lembram e as enchem de presentes e flores ficam com a pulga atrás da orelha: Consciência pesada? perguntam.
Bem faz a turma jovem dos ficantes. Programam apenas para um dia.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Um Pouco de Florbela Espanca, uma poetisa à frente do seu tempo

Florbela D'Alma da Conceição Lobo Espanca, nascida em Alentejo, Vila Viçosa, em 1894. Produziu uma das mais belas obras poéticas de lingua Portuguesa . Seu primeiro poema, A Vida e a Morte, foi escrito aos sete anos de idade, comprovando, desde cedo, uma personalidade depressiva . Sua vida foi marcada por amores frustrados, incompreensões e tragédia. Filha de João Maria Espanca, fruto de um relacionamento extraconjugal dele com Antonia Conceição Lobo, daí nasceu também seu irmão Apeles, morto em acidente em 1927. Muito avançada para sua época, não era bem vista pela sociedade local. A neurose de Florbela deu os seus primeiros sinais quando de sua entrada na Universidade e piorou quando separou-se de seu primeiro marido Alberto Moutinho em 1921,após um aborto espontaneo. Neste mesmo ano passa a viver com Antontio Guimarães, casando-se depois com ele. Mais uma vez sofre outro aborto e separa-se pela segunda vez. Sua familia corta relações com ela e seu estado psicológico piora. Em 1925 casa-se novamente com Mario Lage e vai morar em Matosinhos, no Porto.

No dia oito de Dezembro de 1930, suicida-se ingerindo dois frascos de Veronal. Essa teria sido a sua terceira tentativa de suicidio a qual não resistiu.


A Vida e a Morte
O que é a vida e a morte
Aquella infernal enimiga
A vida é o sorriso
E a morte da vida a guarida

A morte tem os desgostos
A vida tem os felises
A cova tem as tristezas
I a vida tem as raizes

A vida e a morte são
O sorriso lisongeiro
E o amor tem o navio
E o navio o marinheiro

Auctora Florbella Espanca
Em 11-11-903
Com 8 annos d'Idade

(Florbela Espanca, «Esparsos», in «Poesia Completa»)


Lágrimas ocultas          ( Livro de  Mágoas - 1919)


Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...


E a minha triste boca dolorida
Que dantes tinha o rir das Primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!


E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...


E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!


Anoitecer          ( Livro de Soror Saudade - 1923)

A luz desmaia num fulgor de aurora,
Diz-nos adeus religiosamente...
E eu que não creio em nada, sou mais crente
Do que em menina, um dia o fui.... outrora

Não sei o que em mim ri, o que em mim chora,
Tenho bênçãos de amor pra toda a gente!
E a minha alma, sombria e penitente,
Soluça no infinito desta hora...

Horas tristes que são o meu rosário....
Ó minha cruz de tão pesado lenho!
Ó meu áspero e intérmino Calvário!

E a esta hora tudo em mim revive:
Saudades de saudades que não tenho
Sonhos que são os sonhos dos que eu tive...



quarta-feira, 2 de junho de 2010

Você é Narcisista?


Para a Psicanálise e a Psiquiatria, o Transtorno de personalidade narcisista é um estado patológico. Os indivíduos com o transtorno julgam-se grandiosos e possuem necessidades de admiração e aprovação de outras pessoas. O narcisismo excessivo dificulta para o individuo uma vida satisfatória.

(Revista Ciência e Vida, Filosofia anoIV, nº 42)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

CDs. Originais e de boa qualidade são espécies raras

Com a pirataria nos camelôs da vida e da internet, as pessoas que gostam da boa música ficam sem o prazer de ter em mãos os CDs. originais de compositores de música de boa qualidade. Isto porque as lojas especializadas estão sumindo. Restam muito poucas. Quem gosta de ouvir um bom jazz ou música clássica, lamenta. Até mesmo as gravadoras já não investem neste setor como antigamente. Em Salvador, na Bahia ainda podemos contar com as lojas
Wine & Music, localizadas nos Shopping Itaigara e Aeroclube, que além de um bom acervo tem um atendimento de primeira qualidade.

Você é uma pessoa invejosa?

A menos que sua inveja seja do tipo predatória, você não deve envergonhar-se disso. Muito pelo contrário. A inveja faz parte da natureza humana, pois ela estimula o crescimento e a evolução; isto porque só se inveja quem está acima. Biologicamente falando, a natureza seleciona os melhores, e ninguem quer ser inferior. A vontade de crescer, e até de superar o outro, faz parte deste mundo competitivo. Portanto, cultive a boa inveja.

Que são múons?

Os raios cósmicos são particulas ultraenergéticas vindas do espaço que ao entrarem na atmosfera terrestre se chocam contra moléculas de ar. Essas colisões geram bilhões de outras particulas. Os múons são parte dessas partículas, que viajam rumo ao solo em altíssimas velocidades com capacidade de ataravessar quilômetros de rochas com facilidade. A cada segundo dezenas de múons estão passando pelo nosso corpo, mas eles interagem muito pouco com a matéria; caso contrário poderiam causar danos no material genetico, como os raios X e raios gamas (Ciência Hoje, volume 45. nº270 , Artigo Sintonia Fina). Segundo este artigo, os múons são reconhecidamente os causadores de problemas na eletrônica de aviões. Já se pensa na relação desses múons com a aceleração dos carros da Toyota com falha mecânica.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Biblioteca não recebe doações de livros

Na intençaõ de colaborar e divulgar meu livro Livro Infantil, que lancei recentemente e que teve boa aceitação na Escola Nova Nossa Infancia, telefonei para a Biblioteca Infantil Monteiro Lobato no intuito de doar alguns exemplares para esta Biblioteca. Fiquei pasma quando a atendente disse que as doações estavam suspensas por falta de pessoal para catalogar os livros.

Nem um livro? Perguntei.
Nem um - respondeu a atendente.