Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Origem da comemoração do Ano Novo


 
O ritual de comemoração do Ano Novo teve uma origem diretamente ligada à natureza, aos ciclos celestes e lunares e à agricultura – daí a ideia de recomeço, preservada até os dias atuais.
A primeira comemoração ocorreu na Mesopotâmia por volta de 2.000 a.C. e era conhecida como "Festival de Ano Novo". Na Babilônia, a festa começava na primavera por ocasião do equinócio, ou seja: no ponto ou momento em que o Sol, corta o equador, fazendo com que os dias sejam iguais às noites.
Deus Juno
Os romanos foram os primeiros a estabelecerem um dia para a comemoração desta grande festa (753 a.C.).O ano começava em 1º de março, mas foi num decreto do governador romano Júlio César, que fixou o 1 de janeiro como o Dia do Ano-Novo trocado em 153 a. C., adotado em 46 a.C , e mantido no calendário juliano. O mês de Janeiro deriva do nome de Jano, o deus de duas faces (bifronte) - uma voltada para frente (visualizando o futuro) e a outra para trás (visualizando o passado) o deus dos portões, a quem os romanos dedicavam esse dia. O povo Romano adoravam vários Deuses, e não existe nenhum relato de que o povo Judeu, que viveu nessa mesma época, tenha
comemorado o ano novo, tampouco os primeiros cristãos.
Em 1582 a Igreja Católica consolidou a comemoração, quando adotou o calendário gregoriano criado pelo Papa Gregório VIII.
Alguns países comemoram em datas diferentes: Na China, por exemplo, a festa da passagem do ano começa em fins de janeiro ou princípio de fevereiro. Durante os festejos, os chineses realizam desfiles e shows pirotécnicos.
No Japão, o Ano Novo é comemorado nos três primeiros dias de janeiro.
A comunidade judaica comemora sua festa de Ano Novo ou Rosh Hashaná, - "A festa das trombetas" -, em meados de setembro ou no início de outubro e dura dois dias.
Os islâmicos celebra o Ano Novo em meados de maio. A contagem corresponde ao aniversário da Hégira (que em árabe significa emigração), cujo Ano Zero corresponde ao nosso ano de 622. Nesta ocasião, o profeta Maomé deixou a Cidade de Meca estabelecendo-se em Medina.


O termo Réveillon tem origem no verbo francês réveiller, "acordar", "deixar de dormir", do latim velare, "fazer vigília", de vigilare, "velar, cuidar, não dormir". Na França, o termo é usado mais comumente no Natal, mas também é usado no ano-novo como Réveillon de la Saint-Sylvestre, pois o dia 31 de dezembro é o dia de São Silvestre. No Brasil, o termo se popularizou para se referir à festa de ano-novo.Pular sete ondinhas e fazer sete pedidos assim que soa a meia-noite do Ano Novo é um costume brasileiro tão arraigado quanto vestir branco. A origem desses rituais está nas religiões africanas trazidas pelos escravos. O branco representa luz, pureza e bondade.